Como fazer aquilo que se gosta e, ainda poder viver disso (em 2 passos)?

Tempo de leitura: 4 minutos

Sabendo à partida que este título vai suscitar muita curiosidade e, de entre os mais curiosos, vão existir aqueles que, apesar de se identificarem com esta matéria, muito pouco vão fazer, a não ser passar os olhos aqui por cima, aceito o desafio de a escrever, acreditando que, lá no fundo ( bem no fundo ), vai estar uma pessoa que vai seguir à risca a minha partilha, iniciando desta forma, o seu processo de transformação.

Adoro escrever, contar histórias, e inspirar dessa forma pessoas. É uma das minhas praias. Acredito que só teremos grandes resultados na nossa vida quando conseguimos conciliar uma série de factores, competências e, de entre as mais solicitadas está a nossa paixão. Ainda assim, são necessários alguns conhecimentos de como as “coisas” funcionam, ou corremos o sério risco de abandonar o processo quando ele poderia começar a dar os primeiros sinais de querer funcionar.

Nada funciona bem à primeira! Por muito bem que algo poderá funcionar na sua primeira vez, existem sempre espaço para melhorias. Aceitando esta verdade, e percebendo que a maior parte dos nossos projectos e ideias que temos em mente, demoram a ver a luz do dia, mesmo quando estamos a, pensamos nós, dar o nosso melhor, fica mais fácil de nos mantermos no caminho, e acertar o “azimute” dos procedimentos, com foco nos resultados.

Ainda assim, e porque sou o resultados de um longo processo que me trouxe ao lugar que um dia imaginei, quero-te passar neste breve artigo, algumas ferramentas e estágios mentais, para que vivas uma vida em grande, com mais sentido, significado, plena de resultados, ou seja, cheia de paixão.



(Agora, agarra nunca caneta e no caderno de capas rijas, e começa a tirar as tuas anotações – vamos lá ao que interessa!)



O primeiro passo.
Identificar o que gostas realmente de fazer. Não te limites no tempo, no local, nas finanças, no futuro, ou no passado, escreve o que faz o teu coração bater mais forte. Aquilo que estarias disposto/a a fazer para o resto da tua vida, se dinheiro, tempo, ou local, não fossem problema para ti.

Segundo passo
Depois de teres uma ideia clara e objetiva da tua paixão, escreve outras áreas que se relacionem com ela. Ou seja. Imagina que gostas de desenhar, criar imagens, construir cartazes que transmitam uma mensagem utilizando a “arte“. Consegues ver a quantidade de oportunidades que essa tua paixão te pode proporcionar para ganhares a sustentabilidade financeira necessária para que vivas disso?
(Vou-te dar outro exemplo, o meu)
Imagina agora que adoras escrever. Escrever artigos, publicações, mensagens, ou até mesmo um livro. Consegues ver as oportunidades que essa tua paixão te pode proporcionar para que te consigas sustentar, é viver única e exclusiva+vãmente da escrita?

Muitas das vezes, estamos mergulhado na dificuldade, e não conseguimos enxergar a solução que poderá estar mesmo debaixo dos nossos olhos. Ouço com regularidade nos meus Workshops que é preciso sorte para vivermos do que gostamos de fazer. Eu acredito mais que são necessários 2 ingredientes para tornar a nossa paixão sustentável:


– Coragem;
– Informação/formação.



Coragem, não só para iniciares o teu projecto, como para dizeres “basta“, a um que já não te diga nada. E está última acaba por ser, normalmente, a mais importante, e a mais difícil de se conseguir.

Informação e formação para saberes o que tens que fazer, no sentido de viveres do que queres viver. Não adianta querer muito uma coisa, se eu não souber o que, como, e quando fazer para lhe dar vida!

Como podes ver, não é necessário nenhuma ciência de fuguetão para dar vida a um sonho. Por vezes os passos são bem mais simples do que imaginamos. O problema é que, por serem tão simples, não lhes damos a devida importância, excluindo a hipótese de os experimentarmos pelo tempo suficiente para ver que frutos dão.

Espero que este artigo possa tocar a vida de alguém, e ajudar no processo de transformação a que todos nós somos submetidos, sempre que queremos levar a nossa vida para um novo patamar de resultados.   

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *